Fim do boleto sem registro

boleto sem registro

Visando reduzir o número de fraudes de boletos e o consequente prejuízo trazido por elas, a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) anunciou o fim do boleto sem registro para o final do ano de 2016. A descontinuação dessa forma de cobrança está sendo feita de forma gradativa, através do chamado Projeto Nova Plataforma de Cobrança. As fraudes consistem basicamente na alteração do código de barras impresso no boleto sem registro, fazendo com que o montante pago seja desviado para outra conta, situação que prejudica tanto o consumidor como o lojista, e se tornaram muito comuns nos últimos anos, principalmente com o advento das compras on-line.

A priori a notícia do fim dos boletos não registrados pode passar despercebida e acabar não recebendo a devida atenção, mas calma, você não seria o único empresário a reproduzir esse comportamento. Isso acontece porque nem todos os gestores sabem a diferença estre os formatos de cobrança. É bem provável que sua empresa esteja entre aquelas que utilizam os boletos sem registro, uma vez que, eles representam 40% dos boletos emitidos, totalizando uma quantidade de 1,5 bilhão de títulos segundo a Febraban. Mas, não se desespere, sua empresa ainda tem alguns meses para procurar uma solução, pois as mudanças estão ocorrendo segundo o cronograma abaixo:

  • Junho de 2015 – Fim de oferta (pelos bancos) da cobrança sem registro para clientes novos
  • Agosto de 2015 – Início da operação da base centralizadora de benefícios
  • Dezembro de 2016 – Término da migração das carteiras de cobrança sem registro para a modalidade registrada
  • Janeiro de 2017 – Início da operação da base centralizadora de títulos

Boleto Registrado Vs. Boleto Sem Registro

Antes de tomar qualquer atitude é preciso entender qual é o modelo de cobrança vigente em sua empresa, para isso, faremos um pequeno resumo sobre cada tipo de boleto.

Boleto Registrado: É aquele que ao ser emitido, é registrado no sistema do banco. Com isso, para efetuar o cancelamento ou alteração de quaisquer informações, faz-se necessário o envio de arquivo de remessa ao banco emissor. Podem também ser cobradas tarifas sobre o registro, cancelamento ou alteração do boleto. Tendo o arquivo anexado em seu sistema, o banco está apto a imprimir e entregar o boleto ao cliente por conta própria, e além disso estes podem ser protestados em cartório pois suas informações estarão validadas no sistema de gestão do banco.

Boleto Sem Registro: Não possui cadastro no sistema do banco emissor, as alterações e cancelamentos podem ser feitos sem intervenção da instituição bancária, e as taxas geralmente só são cobradas quando o boleto é pago. Por não possuir os arquivos pertinentes, a impressão e envio do boleto são responsabilidade da empresa que efetuou a venda. Esses boletos não podem ser protestados em cartório.

Analisando essas características é mais fácil compreender qual o tipo de cobrança sua empresa vem efetuando, se esta for a emissão de boletos sem registro, está mais do que na hora de buscar uma alternativa, ou seus negócios podem acabar sendo prejudicados.

Encontrando a solução nos Sistemas ERP!

Sistemas ERP são imprescindíveis para manter o portfólio de informações organizado e atualizado, e com a mudança na forma de recolhimento, os dados como CPF e CNPJ de clientes e fornecedores terão ainda mais importância, pois farão parte do corpo do arquivo remessa. O envio manual desses dados pode ser prejudicado por equívocos humanos, que acarretarão em taxas cobradas pelos bancos, gerando um prejuízo que pode ser evitado por um software de gestão integrada.

É preciso se informar junto às instituições financeiras sobre as exigências que cada uma delas tem para a emissão dos boletos, e quais as possibilidades de integração. Alguns bancos oferecerão condições mais vantajosas para o seu negócio, mas, não se esqueça de oferecer opções que elevem a comodidade e praticidade para seus clientes, como o pagamento por débito automático.

A mudança proposta pela Febraban tem as melhores intenções possíveis, e mesmo que cause um incomodo momentâneo, contribuirá para o fim dos prejuízos causados por fraudes, elevando a segurança das compras, principalmente daquelas consumadas através de e-commerces. Mais uma vez as soluções de TI surgem como auxílio na adaptação, e a partir dessa “imposição” sua empresa poderá atualizar outros setores, e melhorar a forma de trabalhar economizando tempo e dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *